terça-feira, 19 de junho de 2018

Banguecoque (dia 2)

No segundo dia acordamos com chuva, muita chuva, que não deu tréguas! Começamos cedo pelo The Grand Palace.
É imperdível, um verdadeiro espanto, sendo a atracção mais famosa da cidade. Nós ficamos estupefactos com tanta riqueza e tanta beleza junta! Ainda bem que deixamos para o segundo dia porque demoramos mais de 2horas a visitar!
Foi construído em 1782 e por 150 anos foi a residência do rei, da corte e a sede administrativa do governo. Hoje em dia já não é usado como habitação mas as cerimónias oficiais são lá realizadas.
A sua localização ao lado do rio foi propositada, para dar mais segurança à família real.
Dentro do complexo distinguem-se duas grandes zonas: O Templo de Buda Esmeralda e a Residência Real.

Templo de Buda Esmeralda (Wat Phra Kaew) que é o templo budista mais importante da Tailândia.
Possui um pequeno mas muito famoso e venerado Buda de jade (esmeralda). O Buda encontra-se vestido e as suas vestes são mudadas consoante as 3 estações do ano - Verão, Inverno e estação das chuvas. Esta mudança é feita pelo rei para trazer boa sorte ao país em cada estação.
Possui vários edifícios sagrados, estátuas e pagodes decorados de forma muito elaborada.

Residência Real está dividida em 3 zonas:
- Corte externa (entre o Portão Wiset Chai Si e o Phiman Chai Si) - inclui as paredes internas do Grande Palácio. Hoje em dia é onde estão os escritórios estatais como o departamento da casa real.
- Corte do meio (entre o Portão Phiman Chai Si e o Sanam Ratchakit) - é a área onde as cerimónias reais são realizadas como a coroação real.
- Corte interna (entre o Portão Sanam Ratchakit e o Thaew Teng) - era a área destinada exclusivamente a mulheres. O único homem que podia entrar era o Rei.

Horário: 8h30-15h30
Preço: 500 THR/pessoa
Atenção ao vestuário... não podem ser usados calções (homens e mulheres), vestidos curtos também não são permitidos, também não são permitidas havaianas (a não ser que se usem meias por baixo) e alças ou manga cava também não!
Eu fui com calças de desporto e também não são permitidas por serem justas!
À entrada têm uma loja que vende uns panos para quem não tem vestuário próprio!


















Daí seguimos para o Wat Arun.
Este está localizado na margem oste do rio Chao Phraya. Para chegar lá basta apanhar o barco no cais que custa 4 THR/pessoa e demora cerca de 1min. No mesmo cais há imensa gente a tentar desviar para barcos privados que vão dar uma volta pelo rio e são muito mais caros!
É um dos templos mais impressionantes com um design completamente diferente, bem colorido e com uma localização sobre a água que o torna muito bonito e um símbolo da cidade.
Tem uma torre imponente com mais de 70m, decorada com pedaços de porcelana chinesa e pedaços de vidro coloridos (colocados para que brilhassem quando o sol lhe batesse).
Pode subir-se até ao andar do meio e consegue ver-se o rio! Nós apanhamos um dia feio com chuva e neblina por isso não vimos grande coisa.
Já foi a casa do Buda Esmerada antes do Palácio ser construído do outro lado do rio.
Horário: 8h30-17h30
Preço: 50 THR/pessoa







Antes de irmos para o hotel ainda fomos ao Wat Pho, muito conhecido pelo seu Buda reclinado!
É um dos maiores complexos de templos.
O Buda deitado é gigante, mede 46m de comprimento e 15m de altura. Só os pés têm 5m de comprimento e são minuciosamente decorados com ilustrações de madrepérola. É tão grande que é difícil tirar uma fotografia em que o consigamos apanhar inteiro!
É muito confuso o edifício onde o Buda está e avisam em vários sítios para ter cuidado com os assaltos... as pessoas estão praticamente coladas a admirar o Buda.
No mesmo edifício há um número que tem um significado especial. O 108. Representa as acções positivas e símbolos que levaram o Buda à perfeição. Quem quiser pode comprar uma tigela de moedas e deitar cada moeda nas 108 taças de bronze que cobrem o comprimento da parede. Ouve-se portanto sempre um barulho das moedas a cairem nas taças!
É um templo com uma arquitectura riquíssima, não só pelo ouro mas também pelos detalhes de azulejos e cerâmicas! Gostei muito deste templo.
Nos seus pátios há várias estátuas de Buda douradas que são túmulos de pessoas importantes e no seu interior estão guardadas as cinzas.
Foi aqui que houve a 1ª Universidade pública da Tailândia. Hoje em dia neste complexo é um centro de massagem tradicional e de medicina e ao que consta as massagens são óptimas!
Horário: 8-17h
Preço: 100 THR/pessoa (inclui 1 garrafa de água)







Fomos para o hotel e seguimos para o aeroporto DMK (táxi 500 THR).

Adorámos Banguecoque! Foi só de passagem mas aproveitámos ao máximo!
Não deu para visitar os mercados flutuantes mas ficará para uma próxima... :)

quinta-feira, 7 de junho de 2018

Banguecoque (dia 1)

Chegamos ao aeroporto de BKK e fomos de táxi para o hotel, que custou 500 THR... a viagem durou pouco mais de 1h.
Pousamos as coisas no hotel e começamos o nosso passeio.
Tendo em conta que já passava das 14h optamos por deixar o Le Grand Palace para o dia seguinte.
O nosso hotel ficava na zona da rua mais conhecida - Khao San Road, o que por um lado é óptimo porque estamos perto de tudo mas por outro o barulho durante a noite é chato!
Sentimos logo aquele ambiente da Ásia que tanto gostamos no Vietnam!




Começamos então com uma caminhada até ao Wat Intharawihan.
É um templo real que originalmente era chamado de Wat Rai Phrik ("Vegetable fields Wat") por estar rodeado de jardins.
É muito famoso devido à sua estátua do buda em pé.
A estátua tem 32m de altura e 10m de comprimento e é decorada com mosaicos de vidro e ouro de 24 quilates. Demorou 60 anos a ser construída, tendo terminado em 1927.
Infelizmente a estátua estava em recuperação e não a conseguimos ver por estar coberta com lonas!
Há vários monges a meditar neste templo ao longo do dia.
Horário: 8h30-20h
Preço: Gratuito




Estava um calor terrível e optamos por contratar um tuc-tuc para fazer o resto do passeio (ficou a 20USD).
Passámos pelo Wat Suthat, menos turistico e muito tranquilo.
A principal sala é uma das maiores salas de ordenação da Tailândia, com um tecto com mais de 72m de altura e pinturas nas paredes. No terraço em redor estão 156 estátuas de Buda.
É um templo muito conhecido devido ao seu baloiço gigante vermelho à entrada.  É um baloiço com 21m construido em 1784 com madeira de teca.
Antigamente era usado num ritual onde os monges se baloiçavam, tentando agarrar um saco de moedas de prata com os dentes, para prestar homenagem ao Deus Shiva para celebrar a visita anual à terra. O ritual foi cancelado porque houve vários acidentes.
O baloiço gigante actual foi construído há pouco mais de 10 anos e continua a ser a grande atracção.
Horário: 8h30-21h
Preço: 20 THR/pessoa






Seguimos para o Wat Saket ou The Golden Mount.
Este é conhecido como o monte dourado. É uma colina com 77m de altura com um templo dourado no topo em forma de espiral.
Tem vistas panorâmicas da cidade muito bonitas!!
Para visitar tem que se subir uma escadaria com mais de 300 degraus! O caminho vai estando rodeado por vegetação, estátuas, sinos e uma pequena cascata.
O templo em si é pequeno e simples e como todos os outros recebe imensas oferendas.
Vale a pena uma visita porque as vistas são fantásticas e lá no cimo ouvem-se os barulhos dos sinos com o vento e torna-se bastante agradável.
Horário: 9-17h
Preço: 50 THR/pessoa












Depois fomos até à Lebua Tower para irmos ao skybar.
Apesar de antigamente o consumo não ser obrigatório agora é! E não é barato... éramos 4 e pedimos 2 sumos e 2 águas e ficou-nos quase a 50eur!!
A vista é um espanto, vimos de dia e esperamos que anoitecesse para vermos a cidade iluminada. Valeu a visita!!





Seguimos para a rua Khao San Road... uma rua com um movimento incrível, rodeada por restaurantes, lojas, hotéis, cafés, casas de massagens e cheia de vendedores ambulantes. A rua, de 1km, tem um ambiente de festa com música alta que não acaba antes da 1h da manhã.
A rua ao lado, Soi Rambuttri tem na mesma um ambiente de festa mas um pouco mais calmo e foi onde acabamos por jantar.



segunda-feira, 4 de junho de 2018

Banguecoque, Bali, Lombok, Kuala Lumpur e Singapura

Este ano decidimos voltar à Ásia!
Depois de termos ficado encantados com o Vietnam decidimos voltar para aqueles lados!
Inicialmente iriamos fazer Bali e Singapura... mas Kuala Lumpur é já ali ao lado e aproveitamos para dar lá um pulinho.
Demoramos um pouco a comprar os voos e subiram quase 200€ quando os iamos comprar, pelo que optamos por ir para Banguecoque e depois de lá voar para Bali... e foi uma óptima ideia.
Voamos pela Emirates, fizemos escala no Dubai tanto na ida como na volta.
Os voos por lá foram na Air Asia.
Foram duas semanas, em Maio de 2018... vou começar por explicar tudo!



Itinerário:
Dia 1 - Banguecoque
- Wat Intharawihan
- Wat Suthat
- Wat Saket
- Lebua Tower - Sky Bar
- Khao San Road

Dia 2 - Banguecoque
- Grand Palace
- Wat Arun
- Wat Pho
Às 15h fomos para o aeroporto para apanhar o voo para Bali

Dia 3 - Bali
- Balangan Beach
- Dreamland Beach
- Padang Padang Beach
- Uluwatu Temple
- Suluban Beach
- Tanah Lot Temple

Dia 4 - Bali
- Tegenungan Waterfall
- Gunung Kawi Temple
- Goa Gajah Temple - Elephant cave
- Tirta Empul Temple
- Tegalalang Rice Terrace
- Campuhan Ridge Walk

Dia 5 - Bali
- Subida ao Mount Batur ao nascer do sol (acordamos às 2h30)
- Lake Batur
- Besakih Temple
- Puri Saren Palace (Ubud)
- Saraswati Temple (Ubud)

Dia 6 - Bali
- Banyumala Twin Waterfalls
- Ulun Danu Beratan Temple
- Jatiluwih Rice Terraces

Dia 7 - Bali
- Lempuyang Temple
- Tirta Gangga
- Taman Ujung Water Palace
- Amed

Dia 8
- barco de Amed para a ilha Gili Trawangan. Saímos as 9h15 e chegamos às 10h45

Dia 9 - Gili Trawangan
- passeio de barco pelas outras ilhas e snorkeling

Dia 10
- Gili Trawangan
- Lombok (Kuta Beach)

Dia 11 - Lombok
- Mawun Beach
- Tanjung Aan Beach
- Bukit Merese
Às 15h fomos para o aeroporto para apanhar voo para Kuala Lumpur.

Dia 12 - Kuala Lumpur
- KL Tower
- Merdeka Square
- Petronas Twin Towers

Dia 13 - Singapura
- China Town
- Gardens by the bay

Dia 14 - Singapura
- Little India
- Merlion Park


Temperaturas:
Fomos no início de Maio e apanhamos sempre um tempo óptimo!
Muito calor! Nunca choveu.
Em Banguecoque é que apanhamos um dia bem feio em que não parou de chover!


Transportes:
Em Banguegoque ficamos ao lado da Khao San Road e fizemos muito a pé e de tuk-tuk.

Em Bali contratamos um motorista-guia que foi fantástico... ficou a 600000 IDR por dia (o que equivale a cerca de 36eur) e andava connosco o dia todo, com o roteiro à nossa medida, explicava-nos as coisas, esperava o tempo que quisessemos! Fantástico, um senhor com uma cultura incrível e sempre bem disposto e animado!
Foi-nos buscar ao aeroporto e andou connosco até ao último dia.
De Bali para as ilhas Gili apanhamos o barco - FreeBird e foram-nos buscar ao hotel.

Em Gili Trawangan o transporte é de burro. É importante para levar as malas até ao hotel. De resto dá para andar a pé ou de bicicleta.
De Gili T. para Lombok fomos no barco público que ficava a 15000IDR por pessoa (o privado era 85000IDR por pessoa e só demora menos 15min, mas a senhora que vende ao público não tem muita vontade de o vender e assusta as pessoas a dizer que o barco só parte quando estiver cheio e que isso pode demorar horas! No nosso caso nem 10min demorou... fomos dos primeiros a comprar bilhete e quando estiverem 42 pessoas o barco parte (super rápido portanto)!

Em Lombok nada funciona como em Bali, tentam enganar o turista mal se chega ao porto! Fomos de taxi até Kuta Beach e ficou-nos a 500000IDR a viagem! O taxista disse que os senhores que estão no porto são mafiosos, só lhe deram 200000IDR e ficaram com o resto, só porque ele não fala inglês. Aproveitamos e andamos com ele no dia a seguir por 300000IDR.

Tanto em Kuala Lumpur como em Singapura andamos sempre de Grab (o Uber da Ásia).


Custos:
O custo total da viagem ficou a 1800€/pessoa, incluindo todos os voos, hoteis, entradas em museus/templos, almoços/jantares e os "souvenirs" e prendas para oferecer!

segunda-feira, 28 de maio de 2018

Pamukkale e Antália


Saímos de Goreme (Capadócia) com destino a Pamukkale. Na net dizia que demoravamos 10horas pelo que decidimos dividir a viagem a meio.
Dormimos numa cidade (Aksehir) no meio da Turquia, sem turismo, em que ninguém falava inglês! Mas tudo resolvido... :)
A viagem durou cerca de 4 horas.
E no dia seguinte partimos cedo para Pamukkale (a viagem durou cerca de 4h).
Estavam 40º! Parece que em Junho/inicio de Julho não costuma ser tão quente, estas temperaturas só são atingidas em Agosto. Mas nós subimos sobre um calor impossível.
Li vários comentários, uns diziam maravilhas outros diziam muito mal!
Não acho que seja um sonho como muito descrevem... Há piscinas construídas onde as pessoas podem nadar, mas em muitas vê-se o cimento!
As piscinas naturais não se pode entrar e são muito poucas, mas são muito bonitas! E o fundo que parece algodão também é lindo :)




As piscinas onde se pode nadar

Hierapolis debaixo de mais de 40º foi para esquecer! Tem um anfiteatro lindo. Não conseguimos ver tudo devido ao calor.



Preço do bilhete:
25TL


Seguimos para Antália, passando antes em Ölüdeniz.
Um lugar lindo onde passamos uma tarde maravilhosa.
É um ponto de junção do mar Egeu e do mar Mediterrâneo, que tem uma baía de águas azuis bem clarinhas, chamada de lagoa azul.
É reserva natural e um lugar super calmo, sem qualquer construção.
A praia é de pedrinhas.




Seguimos então para o nosso hotel em Belek (Bogazkent) onde passamos o resto dos dias a descansar.